Feeds:
Posts
Comentários

Archive for junho \17\UTC 2011

Muro de lamentações

O que eu tenho a essa hora a não ser a internet? Parei algumas vezes hoje para não escrever em diferentes redes sociais o quão sozinha eu me sinto. E o único espaço que acho adequado pra mim, de falar disso, é neste meu diário online, e tbm público.

Não vejo com bons olhos as lamentações das pessoas via internet. Todos nós temos problemas, mas empurrá-los para frente contando para todos é uma forma de dar mais poder ainda as causas lamentadas.

Por isso, eu não vou me utilizar de facebook, twitter, msn e orkuts (este último já morto) para lamentações. Acho que isso é apenas uma TPM intempestuosa que sem mais, nem menos, tbm vai-se embora.

Anúncios

Read Full Post »

Primeiro vem a ideia

A maioria das pessoas só querem ser felizes. Mas a maioria delas não faz ideia do que precisa pra ser feliz. Eu mesma tbm não sei. Mudo de ideia sempre sobre o que me faz feliz. Mas somos assim. Eu passei metade da minha vida querendo um namorado. É claro que os tive nesse período. Mas nenhum chegou perto de atingir este coração frio.

Mentira, não é nenhum pouquinho frio. Mas eu achava que era. Por que? Porque eu não sabia que tipo de homem era capaz de realmente de fazer feliz. Até que descobri. E quando eu descobri eu puder procurar nos homens que conheci, o homem que faria eu me apaixonar e amar de verdade. E quando eu descobri que características (não físicas, que fique claro) este homem tinha que ter, eu o encontrei.

Por isso, antes de qualquer coisa, precisamos descobrir aquilo que nos faz feliz. Eu usei o exemplo de meu namorado, para dizer que primeiro eu tinha a ideia do que eu queria, do que eu precisava para ser feliz, e depois eu consegui achar o que eu queria no mundo. Primeiro tem que vir a ideia.

Por isso, eu grito, falo, repido e sussurro. Vamos primeiro descobrir quem somos. Vamos primeiro parar e escutar as batidas de nosso coração. Vamos primeiro olhar pra dentro da gente. É isso que estou sempre tentando fazer, para conseguir ser mais feliz.

Read Full Post »

Essa é a primeira vez em minha vida em que não tenho emprego. To fazendo trabalhos freelancer e estou passando muito tempo trabalhando em casa. Nunca tinha tido esta experiência de não ter que sair  e me encontrar com um grupo de pesssoas, trabalhar o dia todo ao lado delas e depois voltar para casa.

Agora eu acordo, ligo meu computador, depois tomo café. As vezes dou uma volta de bicicleta no calçadão a beira mar e depois volto para casa e começo a labuta. Sozinha. É verdade que não ter ninguém pra encomodar e cobrar é maravilhoso. Ser seu próprio chefe tbm. Quanto ao trabalho eu realmente não tenho o que reclamar.

Mas como ser humano que sou, demasiadamente humano, eu reclamo de não conviver com ninguém. Passo o dia inteiro conversando apenas através do MSN, e como a maioria das pessoas tem colegas presenciais para conversar, não dão tanta atenção quanto eu pela conversa e muitas vezes me pego falando sozinha. Não obtenho respostas.

E ai, chega essa hora da noite, depois de passar o dia só, eu quero sair. Mas como estou namorando a um bom tempo e definifivamente não sou a pessoa mais social do mundo, tenho poucos amigos. E pra piorar um pouco as coisas eu e meu amor só nos vemos nos finais de semana, porque eu quis assim. E ai, aqui estou eu sozinha.

E eu me pergunto, quando foi que eu resolvi me guardar do mundo e não querer me dividir com as pessoas de tal forma a quase não ter amizades na minha cidade? Eu tenho amigas maravilhosas, mas elas moram em outras cidades e as vejo bem menos do que gostaria. Mas tbm não faço grandes esforços para promover os encontros.

E por isso que me pergunto ainda mais uma vez. Quando foi que eu quis parar de me dividir e ficar me acumulando? O que eu tenho medo de perder? O que eu tenho medo de dar?

Read Full Post »