Feeds:
Posts
Comentários

Archive for janeiro \04\UTC 2010

Eu te amo

Eu te amo. Eu te amo. Eu te amo. Eu te amo.

Quantas vezes nós já ouvimos ou proferimos essas palavras para um companheiro? E quantas vezes tivemos certeza do que significava? Sempre fui contra a banalização do “Eu te amo”. As pessoas saem se amando por ai muito rápido. Muito vazio. É difícil também medir a medida do amar. Do gostar tanto, que dizer que gosta, é pouco. Até que o “Eu te amo” estoura, sonoro e inesperado.

Já levei meio ano para dizer que amava alguém, para logo após, quando acabou o relacionamento, perceber que o sentimento verdadeiro não era de amor. Era gostar, ou admirar, ou simplesmente de posse. Mas não era amor.

Tenho quase certeza que amei meu primeiro namorado. Aos 15 anos. E tenho certeza que amo meu atual namorado. Já os outros eu ti amos que proferi por aí era tudo balela? Bom, agora é, mas quando eu disse, certamente, acreditava que era amor.

Então me pergunto – que amor é esse? É um amor que acaba quando acaba a afinidade? Mas se acaba o relacionamento significa que o amor então não existiu? Ou parou de existir? Mas por que ficamos com a sensação de não ter amado nunca? O amor está ligado com a felicidade que se sente quando se está com a pessoa amada. E se essa pessoa não te dá mais felicidade, significa que você não a ama mais? Então não existe amor? Existe apenas um sentimento de felicidade que o outro te proporciona? É assim, egoísta?

Sei lá. Só sei que me sinto feliz, e amando e me sinto amada.

E outra coisa, não importa como vai ser depois. Porque não ligo pro depois, eu não o conheço. Quando me deparar com ele, eu saberei lidar. Mas, depois.

Read Full Post »

Feliz

Me sinto bem. Com a mente tranquila, coração aberto e poucas coisas com as quais me preocupar. Ai vem à dificuldade de escrever para o meu blog. É tão mais fácil falar de sentimentos quando o coração sofre, quando a mente não para de funcionar. Quando tudo esta tão bem, do que escrever? A felicidade é mais difícil de ser explicada, de ser descrita. De ser racionada. Se sente. E só. E basta.

Read Full Post »